segunda-feira

4 Coisas Que Não se Deve Dizer a Uma Pessoa Que Acabou de Perder Um Ente Querido



Imagem: Pixabay


     Olá, caro leitor! Tudo bem?


     Todos nós sabemos que um dia chegará a nossa vez de partir e que encarar a morte como algo natural é a atitude mais sensata que um ser humano pode tomar.
     Mas também, há momentos na vida que devemos abrir nossas mentes e respeitar as situações das outras pessoas por mais que nos pareça exagero.

     Nesse pequeno artigo vou te dar 4 dicas de coisas que não se deve falar a alguém que acabou de perder um ente querido.


"Ah, mas ele/ela já estava velho..."


morte, velho, idade
Photo by jonathan Ford on Unsplash

     Os casos mais comuns de morte entre nós seres humanos ocorre na velhice, quando nosso corpo já não se dá mais conta de usar tanta força e quando nosso organismo tende a enfraquecer nos levando a doenças e sérios perigos de vida. Mas mesmo assim, mesmo sabendo de todas essas informações, é doloroso ouvirmos de outras pessoas que seu pai, sua mãe ou sua avó, por exemplo, tinham de morrer porque estavam velhos. Essas pessoas talvez não falaram por maldade, mas dá a entender pela frieza com que foi dito o comentário. Por isso, tome muito cuidado em expressar admiração ou fazer algum comentário ruim quando souber da idade da pessoa querida que seu amigo/familiar perdeu.


"Ah, mas ele/ela nem era da sua família"


Photo by Ayo Ogunseinde on Unsplash

     Chega a ser repugnante quando você ouve uma dessas assim que acabou de perder aquele tio marido da sua tia irmã do seu pai ou aquele primo que se acidentou e era marido da sua prima filha da sua tia irmã da sua mãe. Ou seja, ambos os exemplos são pessoas que não tem o seu sangue mas que tem, sim, o seu coração, a sua admiração e o seu carinho. Nós temos que entender que pessoas para serem queridas não necessitam de parentesco familiar, por isso respeite quando alguém comentar da perda dessas pessoas. Tome muito cuidado com comentários inconvenientes.


"Ah, mas ele/ela só era um artista"


Photo by Matt Botsford on Unsplash

     Essa é bem polêmica: Como é que alguém consegue chorar e se entristecer com a morte de uma pessoa que em quase 100% dos casos nunca a viu pessoalmente, não sabe de sua existência, não faz parte de sua família e se quer foi algum coleguinha de trabalho? Seguindo os mesmos princípios do tópico anterior, não precisa que alguém para ter sua admiração e carinho seja da sua família ou nesse caso, seja algum amigo ou conhecido. Basta que ele/ela seja especial na sua vida. E não é errado você se entristecer com a morte de um artista querido: É normal do ser humano ter sentimentos e ficar comovido com certas situações. Portanto, respeite aquela sua amiga que era apaixonada por aquele ídolo dos anos 80 que se foi ou aquela sua familiar que admirava o trabalho daquele jornalista que faleceu num acidente de helicóptero.


Leia também:



"Ah, mas só era um cachorro"


Imagem por huoadg5888 na Pixabay

     Os conhecidos "filhos de quatro patas" que por mais que não sejam humanos, fazem parte da família como se fossem de sangue, também é um caso de morte a ser respeitado. Pessoas que amam bichinhos de estimação e os criam tendem a tratá-los como se fossem filhos e por isso pegam muito amor. Quando perdem esses bichinhos, seja por morte natural ou acidente, o luto é igual a perda de um filho humano. Por isso, se deve respeitar os sentimentos dessas pessoas por mais que você odeie o animal que esta criava. Evite comentários como "menos um" ou "era apenas um cachorro", por exemplo.


     Gostou do texto? Então compartilhe em suas redes sociais, para que seus amigos também conheçam essas dicas!

Até mais!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com SPAM, ofensas ou incompreensíveis serão deletados sem aviso prévio.
Os comentários não refletem na opinião do autor.

Atualizações do Instagram

Topo