domingo

Sobre a Música "Irresistiblement" (Sylvie Vartan) - Postagens de Domingo

Imagem: Amazon

     Olá, caro leitor! Tudo bem?

     Todo mundo tem... Outra musiquinha que gosta muito! Nesse caso é uma francesa bem famosinha em sua época que deve fazer parte da "chansons français" (músicas populares francesas) chamada "Irresistiblement" da cantora búlgara Sylvie Vartan.

     Nesse artigo, vou falar um pouquinho sobre essa música e a minha história com ela.

     Vamos lá???

     Irresistiblement é uma música lançada em 1968 pela gravadora RCA Victor no álbum "La Maritza" de Sylvie Vartan. Foi composta por Jean Renard e Georges Aber e fez o maior sucesso na Bélgica, França e Itália.

     Aqui no Brasil eu a conheci quando eu tinha uns 4 ou 5 anos através de uma fita K7 capenga do meu pai chamada "L'amour, Toujour, L'amour", um álbum lançado como "LP" pela gravadora Som Livre lá em 1990 e eu me apaixonei intensamente. Mas como a fita era muito ruinzinha, piratinha, aos 13 anos resolvi a jogar fora e foi a pior cagada que eu fiz...

     Quando foi em 2005, 2006, me bateu uma saudade enorme dessa música. Porém, eu já não a tinha mais em K7 e o que me restava era apenas lembranças de seu som. Como eu podia encontrá-la? Não sabia cantar em francês (só ficava no "tânananan" de seu ritmo) e quando eu tentava interpretá-la ninguém reconhecia. Naquela época, eu não tinha internet fácil e não havia "Shazam" que me ajudasse (não conhecia este aplicativo e, tampouco, tinha acesso a ele). Eu fiquei o ano todo de 2006 com essa música na cabeça e a procurando intensamente de todas as formas que eu podia. Através do pouquinho de internet que eu tinha fiz várias buscas e acabei por conhecer algumas músicas muito legais francesas como "Il y a Du Soleil Sur la France" do saudoso Eric Charden e sua companheira Stone, "L'important C'est La Rose" do saudoso cantor Gilbert Becaud e "Et Sourtout Ne M'oublie Pas" da banda Crazy Horse, mas nada da minha musiquinha amada.


     Foi então que quase no fim do ano de 2006, se não me engano no dia 18 de novembro de 2006, fui com a minha mãe a uma loja de "sebo" (loja que vende discos, fitas, dvds e livros novos, usados e seminovos) com a ideia de comprar alguns LP's de coletânea de músicas francesas. Era uma loja próxima do bairro de Tucuruvi e que hoje em dia parece que não existe mais. Estava eu lá indo de disco em disco até meu "sensor de sexto sentido" apitar e bem forte ao achar o LP "L'amour, Toujour, L'amour". Eu já não me lembrava mais desse LP e algo me dizia que era nele que eu ia encontrar o que eu queria. Cheguei no caixa da loja e informe que eu ia levar aquele LP e acabei também falando o porquê que eu ia fazer isso. Muito bondosa, a mulher disse: "Por quê não testa nesse toca-discos que eu tenho aqui na loja para ver se encontra a sua música?" - Aceitei a proposta, ela pegou o disco das minhas mãos, pôs no toca-discos e começou a ir de faixa em faixa perguntando se era a tal música. Ela começou pelo "lado A" (óbvio!) que era justamente uma muito conhecida no Brasil (pelo menos para quem viveu a época ou gosta de músicas antigas): "F... Comme Femme" do cantor Adamo. Minha mãe e a mulher da loja se lembraram da música e comentaram o quanto ela era bonita. Depois, a mulher pulou para a outra faixa, não era; pulou para a outra faixa, não era; pulou para a próxima faixa, não era também! E foi indo até virar o disco para o "lado B". Testou a primeira faixa, uma super famosa e bem polêmica "Je T’Aime… Moi Non Plus" do casal "muito apaixonado" Serge Gainsbourg e Jane Birkin... Claro que também não era! Testou a segunda faixa, "Et Si Tu N'existais Pas", Joe Dassin !!! Amo muito! (na verdade me apaixonei pelas suas músicas assim que eu ouvi essa novamente) Mas também não era! A próxima faixa, uma maravilhosa de um cantor que amo demais chamado Danyel Gérard, "Butterfly"... A próxima, uma que eu conhecia graças ao LP "Saudade Não Tem Idade" chamada "Ma Vie" de Alain Barrière. E a próxima... "É essa! É essa! É essa!" - Gritei na loja dando pulos. A mulher que estava testando o disco carregava uma criança de 7, 8 ou 9 anos de idade dormindo em seu colo (era uma criança grande) acordou apavorada, mas logo voltou a dormir. Minha mãe passou vergonha e eu senti a maior felicidade que eu podia sentir naquele ano: achei a minha musiquinha amada! Era "Irresistiblement" da Sylvie Vartan e mal podia ouvir a música novamente de tanta emoção. Acabei comprando o disco e até hoje tenho aqui em casa como um troféu (sou imensamente apaixonada por essa música).

     A música "Irresistiblement" recebeu inúmeras versões e regravações. Dentre as mais famosas estão a do saudoso maestro de orquestra Paul Mauriat e a versão em italiano, "Irresistibilmente" gravada pela própria Sylvie Vartan. Aqui no Brasil, a saudosa cantora da Jovem Guarda Sylvinha Araújo regravou a música na versão em português dando o nome de "Não Resisti".

     Seguem os vídeos das músicas citadas respectivamente:





     Pois bem, pessoal! Esta é a minha pequena singela homenagem a essa música que amo tanto e espero que vocês tenham gostado! Bye.



A pesquisa desse artigo foi retirada do site Wikipédia.




     Gostou do texto? Então compartilhe em suas redes sociais, para que seus amigos também conheçam essas dicas!


Até mais!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com SPAM, ofensas ou incompreensíveis serão deletados sem aviso prévio.
Os comentários não refletem na opinião do autor.

Atualizações do Instagram

Topo