Luis Bordón: Conheça o Homem Que Sempre Esteve Presente no Seu Natal - Postagens de Domingo

Photo by freestocks.org on Unsplash

     Olá, caro leitor! Tudo bem?

     Quando chega o mês de dezembro, sentimos o gostinho das festas de fim de ano (se você segue o calendário cristão, é claro!). Uma das festas mais especiais é o Natal, cuja as maiores características são os enfeites, a comida, os presentes e todo aquele clima familiar amoroso que rola. Porém, uma das características mais marcantes são as músicas natalinas das mais clássicas as mais modernas que hoje em dia existe.

     Hoje, nesse artigo, vou falar sobre um cara que sempre esteve presente em sua festa de Natal e, ao mesmo tempo, você nem sabia quem era ele.

     Vamos lá?

     Convidados sempre foram bem vindos em nossa festa de fim de ano. Os amigos mais próximos se tornam parte de nossa família e assim comemoramos a festa que inspira a paz, a alegria e o amor. Mas e se eu te disse que um homem bem trajado esteve esse tempo todo em sua festa e você nem percebeu? Ele costumava a ir em suas festas natalinas para tocar Jingle Bells na versão mais famosa instrumental.

     Jingle Bells, uma música natalina extremamente famosa, composta por James Lord Pierpont em 1857 sob o nome de "One Horse Open Sleigh", foi gravada por centenas de artistas, entre eles Nat King Cole, Barry Manilow, Plácido Domingo, Beatles, Louis Armstrong, Frank Sinatra e por aí vai. Sua história começa quando Pierpont a compôs para ser uma música para o Dia de Ação de Graças e não para o natal, apesar da letra falar de neve e trenó.

Imagem de Clker-Free-Vector-Images por Pixabay

     Aqui no Brasil, a música recebeu uma versão famosinha também chamada "Sino de Belém" (ou "Bate o Sino" como muita gente conhece), composta por Evaldo Rui, em 1941, cuja a letra falava sobre o nascimento de Cristo e se tornou uma das cantigas natalinas mais populares em nosso país. Foi gravada também por inúmeros cantores brasileiros, entre eles Chitãozinho & Xororó, Simone (em seu álbum mais famoso), Wesley Safadão e a saudosa atriz Bibi Ferreira.

     Porém, um famoso harpista regravou essa musiquinha usando sua harpa paraguaia e "mitou": não há um natal aqui no Brasil que você não ouve essa versão por aí até hoje... E tenho certeza que quando você era criança (se você tiver atualmente uns 30 anos) deve ter ouvido e muito!

Photo by Manuel Nägeli on Unsplash

     O artista em questão que eu falo e o homem que nunca falta em seu natal (nem se for com sua musiquinha tocando em sua cabeça o tempo todo quando se fala em natal) é o Luis Bordón, um músico paraguaio que era harpista e que ficou hiper famoso aqui no Brasil com seu álbum chamado "A Harpa e a Cristandade", de 1960. Luis nasceu em Guarambaré, no dia 19 de agosto de 1926 e chegou a morar aqui no Brasil. Mas, morreu em 13 de abril de 2006, deixando o legado mais bonito que poderia fazer.



   
     No álbum "A Harpa e a Cristandade" também há outras músicas de sucesso do paraguaio mais famoso do Brasil como "Boas Festas", "Natal das Crianças" e "O Velhinho". Consta no site Discogs que este álbum foi lançado aqui no Brasil pelo selo "Chantecler". Luis também com seu inseparável instrumento de cordas fez dezenas de outras gravações de músicas famosas como "Índia", "Me Dá Um Dinheiro Aí", "Baião de Dois", "O Teu Cabelo Não Nega", "Linda Morena", "Mamãe, Eu Quero!", "A Jardineira", "Chiquita Bacana", "La Cumparsita", "Mano a Mano", "Capelinha de Melão", "Cai, Cai Balão", "Pedro, Antonio e João", "Parabéns a Você", "Ave Maria", "Cidade Maravilhosa", "Solamente Una Vez", "Cabecinha no Ombro", "Marina", "Taí", "Alá-lá-ô", entre outras.


A pesquisa desse artigo foi feita nos sites Wikipédia, Guia Infantil, Discogs e Recanto Caipira.


     Gostou do texto? Então compartilhe em suas redes sociais, para que seus amigos também conheçam essas dicas!


Até mais!

Você também vai gostar de ler também...

0 comments.

Comentários com SPAM, ofensas ou incompreensíveis serão deletados sem aviso prévio.
Os comentários não refletem na opinião do autor.