"Photos Post Mortem"- Conheça Uma das Práticas Mais Exóticas de Antigamente

Imagem de carolynabooth por Pixabay


     Olá, caro leitor! Tudo bem?

     Tirar fotos é algo que a grande maioria das pessoas gostam de fazer para registrar momentos alegres, momentos românticos, uma paisagem ou até tirar fotos de produtos para vender pela internet. Porém, num passado não muito distante, existiu um costume que muita gente nunca imaginou fazer nos dias de hoje: tirar fotos de entes queridos mortos.

     No artigo de hoje, vou falar sobre as "Photos Post Mortem" que fizeram um baita sucesso entre o século retrasado e atrasado e explicar as curiosidades que envolve esta prática.
     "Photos Post Mortem" ou "Fotografia pós-morte" era o costume de fotografar pessoas mortas para homenageá-las. Esta pratica aconteceu na Era Vitoriana, lá no final do século 19. Era uma forma mais baratinha de pessoas mais humildades poderem imortalizar seus entes queridos, principalmente as crianças.

     Como havia uma mortalidade infantil muito grande, essas fotos poderiam ser a única foto que aquela criança ia tirar em toda a sua vida e daí seria então a única recordação que seus pais ou  outro responsável teria. Outra coisa ruim que tinha aquela época era o máximo de idade que os homens viviam: 44 anos. Já pensou? Havia casos que, inclusive, as fotos serviam como registro de crime como uma delas que você verá abaixo de uma família inteirinha morta por vingança.

     A primeira foto "Post Mortem" que se tem registrado, aconteceu em Varsóvia (capital da Polônia), em 1861, pelo fotógrafo e conhecido "pai da fotografia polonesa" Karol Beyer, que fotografou cinco participantes de um protesto pacífico patriótico naquela cidade que morreram por uma ordem das autoridades em atirar neles. O quadro ficou conhecido como "Five Killed Men" (cinco homens mortos)  e se tornou um cartão e uma relíquia nacional.

Karol Beyer, "Five Killed Men" photo: Biblioteka Narodowa / CBN Polona
Imagem: Culture.Pl

     A "modinha" começou com a Rainha Victoria que teve a ideia de fotografar um familiar ou conhecido já morto para que pudesse guardar de recordação. O povo da Inglaterra naquela época adorou a ideia e resolveu adotá-la! Pois para eles era bem melhor tinha uma fotinho barata de boa qualidade do que aquelas pinturas não tão realista da época. A partir daí foram inúmeras fotos tiradas dessa forma.

     Para tirar uma "linda" fotinho do falecido, era necessário lavá-lo e colocá-lo em uma pose como se estivesse vivo. Como os dias entre o velório e o sepultamento costumava a durar bastante, dava tempo de tirar uma foto do cadáver sem problema. Flores eram colocadas ao redor do cadáver, não apenas para dar um ar de charme para as fotos, mas para disfarçar o mal cheiro do morto. Para colocá-lo de pé, por exemplo, o fotógrafo o apoiava em uma madeira ou suporte. Outras poses mais comuns tinha o morto com os olhos abertos, para dar ar de naturalidade e vida. Se não conseguisse abrir os olhos do morto, bastava desenhar um perfeito olho em suas pálpebras. Tinha mortos que eram colocados sentados ou deitado numa cama acompanhados por outras pessoas mortas também ou não ou sozinhos. Para os fotógrafos, as fotos eram fáceis de fazer e saíam perfeitas, pois, como os mortos não se mexiam, evitavam-se assim os borrões.

Exemplo de como eram usados os suportes vitorianos.

     Por fim, as fotos dos mortos eram exibida dentro das casas dos parentes ou enviadas como presentes a amigos e familiares ou usadas como broche ou até como espelho de bolso. Às vezes o morto parecia estar tão "vivo" que, atualmente, ao ver essas fotos antigas, é difícil de saber quem é o falecido e quem era o parente ou amigo que o acompanhava nas fotos* como as seguir:

This is a Victorian post-mortem photograph. A post-mortem photo was a means for memorializing dead loved ones. One of the men is dead and is propped up to appear lifelike.
O homem que está morto nessa foto é o da direita que está apoiado.

Victorian-death-photos. Both of these men are dead and set up on a stand
Esses dois homens estão mortos: reparem no suporte por detrás de cada um.
Não eram só crianças pequenas as maiores vítimas naquela época: tínhamos também as mocinhas. Esta menina morta está acompanhada de seus pais.

Esta acompanhada de sua mãe.
E esta de seus pais.
The Strangest Tradition of the Victorian Era: Post-Mortem Photography
As crianças, em sua maioria, tinham suas fotos tiradas
acompanhadas por seus brinquedos favoritos
Exemplo para dormir para a eternidade
Ou, às vezes, as crianças eram colocadas em companhia dos irmãos como
mostra esta foto. A morta é a última criança a esquerda.
Ou, às vezes, a criança era acompanhada da família como a mãe e os irmãos. A criança
morta é a que se encontra embaixo com a mão da mãe em sua cabeça.
Ou com os pais. Neste, a criança está com as pálpebras pintadas para fazer
de conta que está com os olhos abertos.
Tinham fotos que eram tiradas antes do enterro do falecido. Nesta, as duas crianças no caixão estão mortas.
Ou sozinha, sem brinquedos, como esta criança.

'Além do véu escuro: fotografia pós-morte e luto do arquivo Thanatos'
Curiosamente, os animais também eram homenageados.
Como nessa onde há só o cachorro como morto.

Esta família foi morta a tiros e espancamento por vingança.

Reza a lenda que todas as mulheres nesta foto estão mortas. A que está
de costas está com seu rosto muito desfigurado.

Pessoa morta viva 3
Neste a moça aparece bem vestida para dar um ar de vivacidade. Era uma adolescente.
Neste é o casal que está morto. Note que suas bochechas
estão exageradamente maquiadas.
Familles - Photos anciennes et d'autrefois, photographies d'époque en noir et blanc
A moça ao centro, com um olhar perdido, está morta.
Foto post-mortem de preparação em estúdio fotográfico
Em algumas fotos, o corpo era preparado em estúdio com a utilização de
equipamentos elétricos para provocar reações musculares e a pessoa
morta apresentasse uma expressão mais sentimental.
Ou, então, a boca da pessoa era alterada.

Foto post-mortem de John O'Connor
O morto John O'Connor acompanhado de dois homens vivos. Esta foto foi tirada
quando John já havia falecido a dois anos. Supostamente, seu corpo
foi conservado a base de processos químicos ou de ambiente.
Pais e seu filho, todos mortos e em um caixão.

* Todas essas fotos possuem domínio público.


Fotos Atuais do "Post Mortem"

     A prática de fotografar cadáveres em poses como se estivessem vivos para homenageá-los, não ficou apenas na Era Vitoriana. Nos dias de hoje, ainda é possível ver esse costume acontecer como algo normal, bonito e bastante corriqueiro principalmente em Porto Rico. Pessoas tiram fotos com seus entes queridos mesmo após mortos e guardam as fotos consigo:

Monica Mapile (1991-2010) tinha 18 anos quando morreu em um acidente de carro em Nevada. Ela não estava usando o cinto de segurança. Nessa foto, ela estava acompanhada de seu melhor amigo ainda vivo.
Imagem: Pinterest
Liana Kotsura (1994-2013) tinha 18 anos quando morreu em um acidente de carro na Califórnia. Ela também não estava usando o cinto de segurança e foi arremessada do carro.
Imagem: Deathaddict.com
a young policeman on his deathbed
Um jovem policial no leito de morte
Imagem: Pinterest


O mais famoso motoqueiro que já parou até no Detetive Virtual do Fantástico para saber se era verdade (e era mesmo!), o porto-riquenho David Morales Colón, de 22 anos, assassinado por um possível acerto de conta, teve seu corpo embalsamado e colocado em cima de sua moto esportiva parecendo o conduzir (veja o vídeo aqui).
Imagem: mdig
Americano foi enterrado em cima de sua Harley-Davidson (Foto: AP)
Outro motoqueiro, Bill Standley, de 82 anos, foi enterrado em cima de sua Harley-Davidson 1967.
Imagem: G1
Adicionar legenda

Quem compareceu o velório de Fernando de Jesus Diaz Beato, em Rio das Piedras, Porto Rico, talvez tenha tido alguma dificuldade em saber quem era o morto. Isso porque Fernando foi velado sentado em uma cadeira, de pernas cruzadas e com um cigarrinho maroto entre seus dedos — “exatamente como ele era em vida”, disseram as pessoas mais próximas
Porto-riquenho Fernando de Jesus Diaz Beato
 é velado sentado, com olhos abertos e com cigarro na mão.
Imagem: R7

Christopher Rivera velório (Foto: AP)
O boxeador profissional Christopher Rivera, de 23 anos, vestido com uniforme de boxe, óculos escuros e luvas, foi colocado de pé fixado com bases escondidas em um dos córner do ringue.
Imagem: G1



Mãe comemorando o aniversário do filho, Jomar Aguayo, de 23 anos, que foi morto num tiroteio.
Imagem: Desconhecida.
A pesquisa desse artigo foi retirada no site Wikipédia, Deathaddict.com, G1, mdig, e Mundo Sombrio.
   

     Gostou do texto? Então compartilhe em suas redes sociais, para que seus amigos também conheçam essas dicas!


Até mais!

Você também vai gostar de ler também...

0 comments.

Comentários com SPAM, ofensas ou incompreensíveis serão deletados sem aviso prévio.
Os comentários não refletem na opinião do autor.